POLÍCIA

​PC indicia pastor por estuprar amiga da filha em MT

Publicados

em

 

O delegado de Polícia Civil de Poconé (102 km de Cuiabá), Maurício Maciel Pereira, considerou que existem indícios o suficentes de autoria contra o pastor da igreja evangélica Assembleia de Deus, identificado apenas como “Adão”, acusado de estupro de vulnerável. O acusado está preso desde o dia 5 de abril, após ser denunciado por uma adolescente amiga de sua filha.

O caso ocorreu quando a vítima tinha 13 anos de idade. O acusado teria se aproveitado das ocasiões em que a menor ia dormir em sua casa para praticar os abusos.

Após a prisão do acusado, a polícia tinha prazo de dez dias para finalizar a investigação. “O que se demonstra é a possível prática de atos libidinosos. O inquérito, quando o suspeito está preso, tem prazo de dez dias para ser concluído. Então, eu poderia realizar outras oitivas, porém, considerando o prazo que se encerrou, e vislumbrando que já haviam indícios suficientes da autoria eu fiz o indiciamento dele pelo crime de estupro de vulnerável”, explicou o delegado.

O inquérito foi encaminhado ao Ministério Público, que deve analisar e decidir para que seja oferecida denúncia contra o pastor. “Eu entendo que o trabalho da Polícia Civil, que neste momento é de juntar os elementos que são necessários para o MP oferecer ou não a denúncia, nós reunimos os elementos e ao meu ver tem indício suficiente da autoria. Não estou dizendo que ele fez. Estou dizendo que me convenci que tem estes indícios suficientes para que seja oferecida a denúncia, e é prerrogativa do Ministério Público dizer se ele deve ser denunciado”, disse.

Em entrevista ao Programa do Pop, a família do pastor chegou a acusar a adolescente de agir por vingança. Tudo porque o pastor teria descoberto um relacionamento entre a filha e a amiga e proibido que elas mantivessem contato.

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA