MANCHETE

Advogado de Mariana Vidotto é gravado tentando extorquir R$ 500 mil de Contó para não denunciá-lo; confira os áudios

Publicados

em

 

 

Cleverson alega ser vítima de tentativa de extorsão de ex-namorada

Áudios revelados pelo advogado Cleverson Campos Contó nesta quinta-feira indicam uma tentativa de extorsão por parte da influencer digital e empresária, Mariana Vidotto, através do advogado dela. Os dois tiveram um relacionamento de aproximadamente três meses em 2019.

Segundo a defesa de Cleverson Campos, através do advogado Eduardo Mahon, Vidotto tentou se beneficiar de uma suposta união estável, que juridicamente não existiu, e que depois se transformou em pretexto para um possível caso de extorsão. Os áudios foram enviados pelo ex-advogado de Mariana ao então advogado de Contó após ela ter sido proibida pela Justiça de continuar com as acusações difamatórias contra o ex-namorado pelas redes sociais.

Segundo Contó, Mariana fez a publicação após não conseguir um acordo extrajudicial no qual pedia R$ 200 mil após já ter recebido R$ 60 mil e uma passagem para os Estados Unidos. Ao publicar nas redes sociais que o relacionamento tinha sido abusivo, o advogado ajuizou uma ação penal privada e obteve liminar que obrigou Mariana a retirar o conteúdo do seu perfil na rede social e não publicar mais nada que o difamasse.

Uma decisão da 10ª Vara Criminal Criminal de Cuiabá foi proferida no dia 13 de abril deste ano. Um dia depois da liminar o advogado de Mariana, à época, mandou mensagem para o advogado de Contó.

Na gravação, o jurista afirma que estava tentando acalmar a “fera”, mas que ela agora queria meio milhão de reais (R$ 500 mil). “A despeito da pressão sofrida pelo Dr. Contó para o pagamento de R$ 500 mil em favor de Mariana de Mello Vidotto, temos a declarar que o pedido realizado pelo causídico em nome da cliente é bastante claro quanto ao objetivo: impedir a suposta vítima de ir ao Ministério Público relatar fantasiosos abusos”, explica Mahon na queixa-crime contra a digital influencer.

Mahon ressalta que a campanha difamatória criada para atingir Contó contava, inicialmente, com supostamente “20 mulheres agredidas”, depois foi redimensionada para “10 vítimas” e, agora, após o contraponto estabelecido pela defesa com base em fatos concretos e comprovados por meio de áudios e conversas por WhatsApp, restam apenas duas possíveis afetadas. “Dr. Cleverson Contó continua à disposição das autoridades para prestar esclarecimentos e confia que o Poder Judiciário Mato-grossense apreciará de forma isenta os fatos constantes dos autos e não a difamação provocada artificiosamente com questionáveis objetivos financeiros”, pontua Mahon.

Confira abaixo o áudio do advogado de Mariana Vidotto tentando extorquir meio milhão de Cleverson Contó.

Clique no Play abaixo e ouça

publicidade

publicidade

POLICIA

POLÍTICA MT

publicidade

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA