Geral

Antes de surto, maior gestora do mundo apostou US$1,5 bi em queda de ações

Publicados

em

 

Aposta foi feita por meio de opções de venda – contratos que dão aos investidores o direito de vender ações até uma determinada data – que expiram neste mês

São paulo — A Bridgewater Associates LP, maior gestora de fundos do mundo, apostou US$ 1,5 bilhão na queda atual dos mercados, disse uma fonte próxima do assunto ao Wall Street Journal. O valor corresponde a 1% de todos os ativos da empresa.

A aposta, montada ao longo de meses — antes, portanto, do avanço do surto de coronavírus no mundo —, foi feita por meio de opções de venda, contratos que dão aos investidores o direito de vender ações a um preço específico até uma determinada data, que expiram em março.

Em meio ao avanço de casos de coronavírus nos Estados Unidos e à declaração da Organização Mundial de Saúde (OMS), que elevou o surto de “preocupante” para pandemia nesta semana, Wall Street tem passado momentos de pânico, lembrando o impacto da crise do subprime, em 2008, no mercado acionário. Só na sessão desta quinta-feira o S&P 500 recuou 9,5%, o Dow Jones 10% e a Nasdaq, 9,4%.

Leia Também:  400 milhões - Licitação do governo do Governo do Estado na secretaria de planejamento pode estar eivada de trambiques.

Entre os formadores de mercado dessa operação, que funcionam como intermediários no processo, estão instituições como Goldman Sachs e Morgan Stanley. Segundo as fontes, na outra ponta da aposta, estão investidores que apostaram na alta do S&P 500 e/ou o Euro Stoxx.

Segundo o jornal, a aposta, vinculada a cerca de US$ 100 bilhões em índices, é uma das maiores apostas de baixa no mercado atualmente.

Não foi possível determinar por que a Bridgewater fez o investimento, segundo o WSJ. Vários clientes disseram, no entanto, que pode tratar-se de um hedge (seguro) para uma exposição significativa no mercado de ações que a empresa construiu.

A gestora não quis comentar suas negociações e, em um comunicado, disse que: “Não temos posições que se destinem a proteger ou apostar em possíveis desenvolvimentos políticos nos EUA”. Afirmou também que suas posições mudam frequentemente e são, muitas vezes, hedges e que apostar muito uma única posição “seria um

Leia Também:  Motorista morre após carro bater de frente com carreta em rodovia de MT

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA