Geral

Ator Robert Conrad morre aos 84 anos

Publicados

em

G1

Artista, destaque nas séries de faroeste nos anos 1960, não resistiu a um quadro de insuficiência cardíaca.

Robert Conrad em foto de junho de 2013 — Foto: Valery Hache/AFPRobert Conrad em foto de junho de 2013 — Foto: Valery Hache/AFP

Robert Conrad em foto de junho de 2013 — Foto: Valery Hache/AFP

O ator Robert Conrad, conhecido pelas séries de televisão “Hawaiian Eye” e “The Wild, Wild West”, sucesso nos anos 1960, morreu neste sábado (8) na Califórnia, aos 84 anos. Ele não resistiu a um quadro de insuficiência cardíaca, de acordo com o porta-voz da família, Jeff Ballard.

“Ele viveu uma vida maravilhosamente longa e, embora a família fique triste com a morte dele, ele viverá para sempre em seus corações”, afirmou Ballard.

Descendentes de alemães, o ator nasceu Konrad Robert Falkowski em 1º de março de 1935, em Chicago. Ele deixa oito filhos e 18 netos.

Carreira

Robert Conrad (à direita) em cena de "More Wild, Wild West", de 1980 — Foto: Wally Fong/Arquivo APRobert Conrad (à direita) em cena de "More Wild, Wild West", de 1980 — Foto: Wally Fong/Arquivo AP

Robert Conrad (à direita) em cena de “More Wild, Wild West”, de 1980 — Foto: Wally Fong/Arquivo AP

Conrad era um jovem ator em ascensão quando foi escolhido para o papel principal em “Hawaiian Eye”. Ele se tornou uma estrela da noite para o dia após a estreia do seriado em 1959. Depois de cinco temporadas, ele abraçou a mania da televisão da época, os faroestes.

Leia Também:  PF cumpre mandado em fazenda de MT em combate a "grilagem de terras"

Em “The Wild, Wild West”, que estreou em 1965, ele era James T. West, um agente do tipo James Bond que usava táticas inovadoras e aparelhos futuristas para combater vilões bizarros. A série foi exibida até 1970.

Ele intercalou sua longa e bem-sucedida carreira na TV com vários papéis em filmes. Depois de algumas pequenas participações, sua fama na TV o levou ao estrelado, começando em 1966 com “Young Dillinger”, onde interpretou Pretty Boy Floyd. Ele seguiu atuando em produções até “Dead Above Ground”, em 2002.

A carreira de Robert também foi marcada por polêmicas e processos judiciais.

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA