MANCHETE

Botelho diz que prioridade é reeleger Mendes, cogita disputar Senado e “descarta” TCE

Publicados

em

 

Embora afirme que a prioridade no momento é o combate à pandemia de Covid-19, o que exige a união de toda a classe política, desde gestores aos parlamentares, o deputado estadual Eduardo Botelho (DEM), uma das principais lideranças do Democratas, admite que dentro do partido a meta para 2022 é reeleeger o governador Mauro Mendes.

Ex-presidente da Assembleia Legislativa, o democrata descarta a possibilidade de buscar uma vaga de conselheiro no Tribunal de Contas do Estado (TCE) e deixa claro que seu objetivo é garantir mais um mandato eletivo nas eleições do próximo ano. Botelho sinaliza, inclusive, a possibilidade de se lançar na disputa ao Senado, de olho na cadeira do senador Wellington Fagundes (PL), cujo mandato conquistado em 2014, termina no final do próximo ano.

Um fato curioso é que ao mesmo tempo em que Botelho afirma ser uma prioridade do partido reeleger Mauro Mendes, também desconversa ao informar que Mendes não sinalizou até o momento, dentro do grupo político, seu interesse por um segundo mandato à frente do Palácio Paiaguás.

“O Mauro não tem sinalizado, mas vamos levar pra ele essa necessidade da continuidade dele no governo e temos esperança que ele venha como candidato para terminamos esse trabalho que está sendo feito e entregarmos um Estado muito bom e fazermos o compromisso que temos que é de fazer as concessões aos servidores públicos, por exemplo”, disse Botelho durante entrevista à Rádio CBN Cuiabá.

Conforme Botelho,  o correligionário Mauro Mendes não pode sair do Governo sem honrar o compromisso de pagar todo o estoque de dívidas que o Estado tem como servidor público. “Temos um estoque de dívidas que são a RGA atrasada, os congelamentos, tudo isso tem que ser reposto e o governador tem que sair fazendo isso. Por isso estamos pregando que ele seja candidato a reeleição”, colocou o democrata.

SENADO TALVEZ

Sobre a possibilidade de se lançar na disputa ao Senado que promete ser acirrada, Eduardo Botelho reafirma que os planos do partido é continuar ao lado do governador recuperando Estado, entregando obras e honrando pagamentos de servidores e fornecedores, o que não vinha ocorrendo quando Mendes assumiu o Governo em janeiro de 2019.

“Ainda não está totalmente terminado esse trabalho de recuperação do Esatdo, daí a necessidade da reeeleição do governador Mauro Mendes, que é o principal objetivo. Ai vamos trabalhar outros nomes para o Senado, para vice e dentro desses nomes o meu está ai colocado”, admitiu Botelho.

TCE NÃO 

Em dezembro de 2020 o conselheiro Waldir Teis protocolou seu pedido de aposentadoria na presidência do Tribunal de Contas do Estado. E, embora, ainda não tenha sido finalizado, gerou dentro da Assembleia Legislativa uma movimentação por parte de deputados interessados no cargo vitalício de conselheiro, com salário R$ 39 mil, mais gratificação de R$ 3,2 mil, auxílio-moradia no valor de R$ 4,3 mil e auxílio livro pago duas vezes por ano no valor de R$ 39,2 mil.

Nesse cenário, o nome de Eduardo Botelho sempre foi aventado como o mais provável e mais forte para ocupar a vaga, cuja indicação é prerrogativa do Legislativo Estadual. Por sua vez, o democrata afirmou categoricamente que não tem interesse.

“O que vai ser pra mim eu não sei. Eu era presidente até pouco tempo e de repente deixei de ser presidente da Assembleia. Não tenho desejo de ir pro TCE, ninguém nunca viu eu atrás de vaga do TCE, não tenho esse desejo. Mas tudo que estou falando aqui são momentos, temos que esperar e ver o que Deus tem reservado pra mim. Minha esperança era terminar até o ano que vem como presidente e de repente fui tirado”, lamentou o democrata que hoje ocupa o cargo de primeiro secretário da Casa.

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA