MANCHETE 2

Câmara de Cuiabá tem tumulto em dia votação de cassação de vereador

Publicados

em

PM e seguranças da Câmara impedem entrada de apoiadores de Abílio Junior

 

Fonte: FolhaMax

 

A Câmara de Cuiabá registra um princípio de tumulto na manhã desta sexta-feira (6), quando será votada a cassação do vereador Abílio Brunini (PSC). Centenas de apoiadores do parlamentar estão em frente a sede do legislativo tentando entrar para acompanhar a votação e pressionar os demais vereadores a arquivar o processo.

A Polícia Militar e seguranças da Câmara estão permitindo apenas a entrada de vereadores e servidores do legislativo.

Abílio Brunini acusa o presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Misael Galvão, de permitir apenas que servidores lotados em gabinetes ocupem a galeria. Segundo ele, é uma estratégia para evitar a pressão dos parlamentares favoráveis a sua cassação.

“O presidente da Câmara de uma maneira arbitrária, canalha, reservou a galeria para servidores da Câmara, servidores da prefeitura. Tem vaga lá em cima e ele não deixa entrar. O pessoal do gabinete do Toninho de Souza chegou com crachá aqui, passou na frente e entrou. Esse pré-cadastro não condiz com o que é certo”, afirmou.

“Estão usando a máquina pública para só colocar servidor da Câmara e da prefeitura. Nós subimos, mostramos servidor da Câmara e prefeitura em lista pré-aprovada. Estão colocando só funcionários de gabinete, muitos deles só batem ponto e vão embora”, continuou.

Segundo ele, a situação visa beneficiar a base do prefeito Emanuel Pinheiro, que é amplamente favorável a sua cassação. “Estão chamando o servidor para estar aqui. Fortalecendo seu vereador, o pau mandado do prefeito, para fazer pressão contra mim”, disparou.

Leia Também:  MPE tenta suspensão condicional de processo contra ex-secretário de MT

Abílio descartou qualquer possibilidade de acordo para evitar sua cassação. “Negociar com bandidos, nunca”.

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA