MANCHETE 2

Chamado de “pau mandado”, vereador acusa opositor de ameaça e pregar o ódio na Câmara

Publicados

em

Principal alvo de Abílio Junior, Toninho de Souza afirma que apenas cumpre seu papel como presidente da Comissão de Ética

O vereador Toninho de Souza (PSD) usou as redes sociais para se defender do que chamou de “ataques” por parte do vereador Abílio Júnior (PSC), que teve seu pedido de cassação por quebra de decoro parlamentar votado por unanimidade pela Câmara de Ética da Câmara Municipal de Cuiabá, na última quarta-feira (12).

“Tem [Abílio] se exaltado, usado as redes sociais, para me atacar como se eu fosse o único responsável pelo seu processo de cassação na Câmara Municipal. De 25 vereadores, ele escolheu a mim para atacar”, disse Toninho de Souza, que é o presidente da Comissão de Ética.

Durante a fala gravada para explicar sua posição, Toninho disse que apenas está cumprindo sua função dentro da Comissão de Ética. “Quer dizer que estou cometendo um crime ao exercer a minha função como o presidente da Comissão de Ética, de fazer o levantamento, de julgar um processo? Esse é o meu crime? Julgar um processo, que a minha função é esta? E isto que eles estão tentando passar esta ideia”, se defendeu.

A leitura do parecer pela cassação de Abílio, feita pelo relator da Comissão, vereador Ricardo Saad, provocou protestos do bloco de oposição ao prefeito Emanuel Pinheiro. Abílio chamou Toninho e Saad de “paus mandados” e disse que o processo foi criado para fortalecer o prefeito, com o objetivo de afastá-lo do Legislativo, já que é um dos mais ferrenhos opositores ao atual gestor.

Abílio, que presidiu a CPI da Saúde, que culminou com a prisão do então secretário de Saúde Huark Corrêa, disse ainda que o objetivo é atrapalhar a CPI do Paletó que foi reaberta na Câmara. “Já era esperado, o vereador Toninho mostra a que veio, veio para atrapalhar a CPI do Paletó, para tirar o vereador Abílio, que é uma pedra no caminho do prefeito de Cuiabá. Não apresentou prova, se justificou num vídeo em que eu falo que me ameaçara, e ameaçaram mesmo”, disse na ocasião.

No vídeo, postado nas redes sociais, Toninho rebate Abílio e disse que a Comissão de Ética, que é presidida por ele, apenas investiga os processos que chegam até ela e que no ano passado, duas representações chegaram à Comissão contra Abílio, e que ambas foram arquivadas. “Isso o vereador Abílio não fala”, provocou Toninho.

Leia Também:  Vice-presidente do Cuiabá tem que pagar R$ 256 mil a empresário por má-fé em cobrança

“Esse atual processo que ele tenta erroneamente passar a imagem para a população de que ele está sendo cassado porque ele exerce o seu papel de fiscalização. Não é isso. O vereador pode fiscalizar, mas ele tem comportamento a ser respeitado”, disse Toninho de Souza.

Na representação feita contra Abílio Júnior, em outubro do ano passado por seu suplente Oseas Machado, ele foi acusado de ter invadido o Hospital Municipal São Benedito e revirado gavetas, mexido nos computadores. Abílio disse que esteve no hospital no exercício da função que ocupava na época, de presidente da CPI da Saúde, e que estava investigando denúncias de irregularidades no hospital, que à época era dirigido por Oseas Machado.

No vídeo, Toninho de Souza disse que Abílio, por meio de uma live, acusou quatro vereadores de tê-lo ameaçado de morte. “Nesse item, o vereador Abílio não se defendeu dentro do processo. Levou suas testemunhas, inclusive vereadores, companheiros, ninguém disse que viu alguma coisa em relação a essas ameaças”, disse Toninho, que também questionou o fato de que ele não registrou boletim de ocorrência sobre a suposta ameaça.

Leia Também:  Empresa alvo da polícia faturou R$ 19 milhões em 2020; liquidações foram autorizadas pela Mesa Diretora da AL

“Vou citar um exemplo. Nestes dias, agora, houve uma incitação do comitê da maldade desta turma e eu recebi algumas ameaças de morte por rede social. Qual foi a atitude do vereador Toninho de Souza? Eu procurei uma delegacia, registrei um boletim de ocorrência. É assim que você faz quando tem uma ameaça a sua integridade física, coisa que não fez o vereador Abílio”.

Toninho criticou ainda o comportamento do vereador Abílio, que, segundo ele, não está de acordo com o que se espera de alguém que diz cristão. “Infelizmente ele usa de rancor, de difamação, de calúnia. Esse é o comportamento dele. Muito estranho para um cristão, para um rapaz que cresceu dentro da igreja. Não é isso que prega a Bíblia”.

“Então estou aqui pra explicar pra vocês. Porque a mentira do outro lado, não pode vencer a verdade. O ódio que está sendo praticado do outro lado, estimulado do outro lado, não pode vencer o amor que é pregado por deus. Eu apenas cumpri o meu papel e eu não represento a Câmara Municipal de Cuiabá. Eu sou apenas um entre 25 vereadores”, finalizou.

Por: CARLOS MARTINS/ Folhamax

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA