BRASIL

Cirurgião é preso acusado de abusar de mais de 80 mulheres

Publicados

em

 

Dr Klaus Brodbeck
Reprodução Instagram

Dr Klaus Brodbeck

O médico Klaus Wietzke Brodbeck está sendo investigado pela Polícia Civil do RS. Na terça-feira (13), endereços ligados ao médico foram alvo de buscas pelos investigadores e, nesta sexta (16), ele foi preso preventivamente, em Gramad. Mais de 80 mulheres já procuraram as autoridades para relatar abusos por parte do cirurgião plástico. Em depoimento, ele negou os crimes.

“Os toques eram nocivos, os convites que ele fazia para as vítimas eram totalmente inadequados, inclusive oferecendo aumentar o número de procedimentos oferecidos se as vítimas mantivessem relações sexuais com ele”, explicou a delegada do caso, Jeiselaure de Souza, à reportagem da Band TV.

O depoimento de Klaus durou por mais de quatro horas, apesar disso, ele negou todas as acusações. “É importante até que muitas mulheres nos procuraram para relatar fatos muito antigos, e mesmo sabendo que em face da prescrição nós não conseguiríamos alcançar a investigação desses fatos, elas fizeram questão de vir aqui na delegacia dar o seu relato, porque ficaram muitos anos em silêncio”, completou a delegada, dizendo que existem denúncias contra ele ocorridas desde 2001.

Na segunda-feira, a clínica do médico em Porto Alegre foi alvo de uma operação da polícia civil. Aparelhos eletrônicos e objetos pessoais do cirurgião foram recolhidos para tentar encontrar evidências dos abusos praticados por Klaus Wietzke Brodbeck.

Nas redes sociais o médico tem mais de 90 mil seguidores no Instagram. Em resposta à repercussão do caso, uma carta aberta foi compartilhada na página. “O Dr. Klaus está colaborando de todas as formas possíveis com as investigações para esclarecer a situação o mais rápido possível […] Infelizmente apenas um lado do caso ganhou notoriedade, ferindo a dignidade pessoal e prejudicando a carreira do médico […] Vivemos em tempos em que a rede social faz julgamentos, mas a Justiça trará de volta sua dignidade”, diz um trecho do texto. Até o momento, o cirurgião segue detido.

Leia Também:  Cuiabá atingiu pico da pandemia em julho

 

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA