POLÍTICA MT

CNJ aponta Judiciário de MT entre os mais eficientes do Brasil

Publicados

em

 

Os desafios impostos pela Pandemia da Covid-19 exigiram medidas inovadoras e mudança da rotina de magistrados, magistradas, servidores e servidoras do Poder Judiciário de Mato Grosso. O esforço contínuo resultou em um ano de alta produtividade, que agora está registrada no relatório Justiça em Números 2021, divulgado nesta terça-feira (28) pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

“Os números divulgados pelo CNJ são motivo de orgulho para todos nós do Poder Judiciário. Tenho feito reuniões on-line com o nosso público interno, em especial da 1ª instância, para discutir melhorias nas comarcas, reforçando que essa é nossa prioridade. Estamos lutando para manter os mesmos índices, apesar do prolongamento da pandemia e de todos os obstáculos que esse fator impõe à Administração”, disse a desembargadora Maria Helena Póvoas, presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).

O relatório coloca novamente o TJMT como o segundo mais bem avaliado entre os tribunais estaduais de médio porte no quesito Taxa de Congestionamento do Primerio Grau (Justiça Comum, Juizado Especial e Turma Recursal), registrada em 66% (quanto menor o índice, maior é a facilidade de o tribunal lidar com seu estoque processual). O TJMT conquistou o primeiro lugar dentre os tribunais de médio porta na Taxa de Congestionamento do Segundo Grau, com 38%, ficando em terceiro lugar dentre os 27 tribunais estaduais, empatada com o TJSP.

Leia Também:  TCE-MT realiza capacitação sobre sistema recursal do controle externo

Além do Tribunal de Mato Grosso são classificados como tribunais de médio porte os tribunais da Bahia, Santa Catarina, Pernambuco, Goiás, Distrito Federal e Territórios, Ceará, Espírito Santo, Maranhão e Pará.

No índice de produtividade por magistrados e magistradas (IPM), Mato Grosso ocupa a segunda colocação entre os 10 tribunais de médio porte com índice de 1975 e, no âmbito nacional, Mato Grosso ficou com o 3º lugar, entre os 27 tribunais estaduais brasileiros.

O TJMT se destaca ainda no item Índice de Atendimento à Demanda (IAD), com 130,9% conquistando a quarta posição entre os tribunais de médio porte, garantindo a sétima colocação entre as 27 cortes no ranking nacional, superando a média nacional (115,2%). Apesar de ter uma das maiores demandas per captas do país, é o quinto tribunal que mais recebe novos processos no país (casos novos por 100 mil habitantes).

Outro indicador no relatório do CNJ que demostra boa performance do Judiciário de Mato Grosso é o Índice de Produtividade Comparada da Justiça (IPC-Jus) que, levando em consideração o 1º e o 2º graus e a área administrativa, registrando índice de 91%.

Leia Também:  MPE pede cassação de presidente de Câmara de VG por usar servidores na campanha

Segundo a explicação do CNJ, o IPC-Jus é uma medida que busca resumir a produtividade e a eficiência dos tribunais, comparados com outros do mesmo porte e mesmo ramo da justiça. Quanto maior seu valor, melhor o desempenho da unidade, significando que ela foi capaz de produzir mais, com menos recursos disponíveis.

cnj-relatorio.jpg
Fonte: Folha Max

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA