POLÍTICA MT

Deputado convoca bolsonaristas para manifestação em MT

Publicados

em

 

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizam neste domingo (1), em Mato Grosso, manifestações em defesa do Governo Federal e do voto impresso auditável. Em Cuiabá, a concentração está marcada para às 15 horas, na Praça das Bandeiras. Em Rondonópolis, a carreata/motociata está marcada também para às 15 horas, com saída do CAIS, e contará com a participação do deputado federal e vice-líder do governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados, José Medeiros (Podemos).

Em Sinop, a concentração do ato será às 8 horas no Estádio Gigante do Norte. As manifestações também acontecem em todo o país. Diante dos questionamentos sobre a confiabilidade da urna eletrônica, Medeiros reforça a defesa da transparência do processo eleitoral no país com o voto impresso auditável.

“Vamos voltar às ruas, neste domingo, para apoiar o projeto de lei de autoria da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), que prevê a obrigatoriedade do voto impresso já na eleição do próximo ano. Liderado pelos movimentos de direita, a defesa do voto impresso ganhou força e representa hoje o desejo de milhares de brasileiros. Além disso, o ato de amanhã também será para reforçar o nosso apoio ao presidente Bolsonaro”, frisa o parlamentar.

Leia Também:  Médico é preso por atirar durante discussão familiar em MT

Medeiros esclarece que o voto impresso não significa o fim da votação eletrônica, mas representa a segurança jurídica e a transparência do processo eleitoral tão exigida pelos eleitores.

“O projeto propõe que uma cédula seja impressa logo após a votação na urna eletrônica, oportunizando que o eleitor possa conferir seu voto de forma mais transparente. Em seu projeto, a deputada Bia Kicis argumenta ainda que a materialização do voto eletrônico seria a solução para que as votações eletrônicas possam ser auditadas de forma independente”, comenta Medeiros. Ele lembra ainda, que alguns movimentos de direita também pedem a contagem pública total dos votos.

Crítico da posição intransigente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com relação ao projeto que prevê o voto impresso no Brasil, o deputado bolsonarista questiona a segurança da urna e lembra que vários sistemas eletrônicos considerados seguros já falharam ou sofreram algum tipo de invasão.

“Todo sistema eletrônico no mundo já foi invadido, mas será que apenas a urna eletrônica do Tribunal Superior Eleitoral não? Para apequenar o debate, o  presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, vem tentando desqualificar o movimento em defesa do voto impresso auditável. No entanto, o voto impresso já é defendido por boa parte da população brasileira, que só deseja eleições limpas”.

Leia Também:  Emanuel diz que deixará Cuiabá melhor do que recebeu de Mauro Mendes

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA