conecte-se conosco


Geral

Diretor da OMS recua e afirma “governos devem levar em conta quem precisa ganha o pão de cada dia”; confira o vídeo

Publicados

em

Em entrevista coletiva da Organização Mundial de Saúde (OMS), o diretor-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que os lockdowns (ou quarentenas) podem comprar tempo, mas devem levar em conta que cada país é diferente.

A fala de Ghebreyesus é encarada como um “recuo” da OMS em relação ao isolamento de pessoas saudáveis durante a pandemia do vírus chinês, que impacta diretamente na economia e no sustento de famílias.

“Se estamos fechando ou limitando o movimento, precisamos pensar nelas [as pessoas]. O impacto na economia tem a ver com vários fatores, mas precisamos saber o que isso significa para o indivíduo precisa sair para sobreviver. Venho de uma família pobre e sei o que significa se preocupar com o que comer amanhã”.

Ainda de acordo com o diretor da OMS, os governos têm de levar em conta a população que precisa trabalhar para garantir seu pão diário.

O afrouxamento das medidas de isolamento já vem sido defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, que vem recebendo inúmeras críticas. Em diversos estados, está proibida, sob pena de multa, a abertura do comércio.

As pessoas foram privadas do direito de garantirem seu próprio sustento.

“Se fecharmos ou limitarmos as movimentações, o que acontecerá com essas pessoas que precisam trabalhar todos os dias para garantir seu pão de cada dia todos os dias?”, questiona Tedros. “Cada país, baseado em sua situação, deveria responder a esta questão”, acrescentou. Veja o vídeo abaixo.

 

Propaganda
2 Comentários

2 Comments

  1. Erly Donizete Rodrigues

    31/03/2020 - 07:51h às 7:51 am

    Oque existe no Brasil é uma política de esquerda querendo se aparecer , E não estão preocupados com nossa nação e sim em seus umbigos, Brasil não precisa de isolamento , e sim de empregos .

  2. Margarete Teixeira Madalena Paris Junior

    31/03/2020 - 08:42h às 8:42 am

    #BolsonaroTemRazao🇧🇷🙏🇧🇷
    É difícil para a esquerdalha comunista aceitarem, que o governo Bolsonaro e seus ministros tem razão.
    Por isso, querem a todo custo, doa quem doer ,golpear esse governo anticorrupção e se preciso for ceifando a vida do povo brasileiro,através de um vírus chinês. Em nenhum momento, pensaram em se aliar ao governo Bolsonaro no enfrentamento dessa pandemia,ao contrário, estão se aproveitando dessa calamidade mundial, causada por um governo comunista, no qual ainda se submetem a pedir desculpas, em nome da população brasileira, por ter ceifadas milhares de vida no mundo inteiro. Que Deus tenha misericórdia da humanidade, da nação brasileira e conforte esses momentos de tanta dor e desespero.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Rússia anuncia afivavir primeiro remédio que cura coronavirus

Publicados

em

Medicamento é ‘categoricamente contra-indicado’ para mulheres grávidas e pessoas em processo de planejamento familiar

Remédio foi desenvolvido e testado clinicamente.

O Ministério da Saúde da Rússia anunciou o registro do primeiro antiviral eficaz no combate ao coronavírus. O afivavir apresentou grande eficácia durante ensaios clínicos, de acordo com o Frid (Fundo de Investimento Direto da Rússia).

“O afivavir não é apenas o primeiro medicamento antiviral registrado na Rússia para tratar o coronavírus, mas talvez o medicamento mais promissor para curar a covid-19 em todo o mundo”, disse o diretor-geral da Frid, Kiril Dmítriev.

Segundo Dmítriev, esse medicamento foi desenvolvido e testado clinicamente “em tempo recorde”, o que permitiu que ele se tornasse o primeiro à base de favipiravir – antiviral desenvolvido no Japão – registrado em todo o mundo.

O afivavir demonstrou grande eficácia em afetar os mecanismos de reprodução do coronavírus.

No entanto, o próprio fundo reconheceu que este medicamento é “categoricamente contra-indicado” para mulheres grávidas e pessoas em processo de planejamento familiar.

Além disso, o Frid indicou que inicialmente não estará à venda em farmácias e “será usado apenas em hospitais sob observação médica”.

 

R7

Continue lendo

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA