POLÍTICA MT

Em 20 dias, esposa de Pivetta muda 4 vezes versão sobre confusão em SC

Publicados

em

 

A advogada Viviane Kawamoto, 37 anos, esposa do vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta (sem partido), 62 anos, já apresentou quatro versões sobre a briga do casal na cidade de Itapema, em Santa Catarina. O episódio ocorreu há cerca de 20 dias.

Segundo a primeira versão relatada, a briga teria ocorrido em julho em Santa Catarina e, no calor da discussão, Viviane Kawamoto acionou a polícia. Na chegada dos policiais, ela se disse arrependida e teria decidido não fazer o registro. Ainda assim, o casal teve de se dirigir à delegacia e lavrar um boletim de ocorrência.

Nas declarações à autoridade policial, Viviane Kawamoto informa que havia passado o dia em provocações ao marido, relatando que “apenas discutiram”. Viviane ainda declarou que no dia da briga com o vice-governador havia misturado remédio com bebida alcoólica.

O caso, aparentemente, estava encerrado já naquele dia 8 de julho. Porém, cerca de 15 dias depois, ela ingressou com representação judicial. Em menos de uma semana, Viviane Kawamoto por conta própria pediu a retirada da representação e mudou de advogado, alegando que o primeiro agiu sem sua autorização.

Leia Também:  Semob cancela leilão de veículos e sucatas que ocorreria no dia 22

Viviane chegou a gravar um vídeo negando agressões, que foi publicado em suas redes sociais, reafirmando ser apenas uma discussão comum de casal.

Nesta semana, houve uma nova reviravolta para o caso. Ela alegou que fez o vídeo contra sua vontade e sob pressão.

PROCESSO DE SEPERAÇÃO

Já o vice-governador, alegou que o casal estava em processo de separação desde o mês de junho. Pivetta contou que já havia saído de casa no dia 30 junho e pedido separação, devido a desentendimentos do casal. Mas, segundo ele, Viviane o procurou em diversas ocasiões, inclusive no caso de Santa Catarina, onde ela apareceu de surpresa. O político informou que havia ido uma semana antes para a região Sul do país.

Pivetta disse que vai buscar medida judicial protetiva contra Viviane Kawamoto para garantir seu distanciamento até que tudo fique esclarecido. E já deu entrada formal no pedido de separação.

“Jamais agredi qualquer pessoa e repudio toda violência contra mulher. Sou vítima e apenas busco me defender. Sou pai de duas mulheres e avô de uma menina. Fico profundamente triste com o caminho tomado pela Viviane”, disse Pivetta. “Para preservar a família, inclusive as filhas e o filho dela, por quem tenho um grande amor, estava tentando manter discrição. Mas a separação se tornou inevitável”, completou o vice-governador.

Leia Também:  Emanuel cobra posicionamento de "estadista" e "humildade" de governador

Viviane Kawamoto, por sua vez, negou pedidos de separação anteriores feitos por Pivetta, apesar das supostas agressões que ela denuncia.

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA