MANCHETE

Emanuel mantém isolamento em Cuiabá; bares, academias e shoppings seguem fechados

Publicados

em

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) anunciou neste sábado (09) a extensão dos decretos de março e do dia 9 de maio em que mantém as medidas de isolamento social como forma de evitar a proliferação da Covid-19 em Cuiabá. Ele lembrou que locais como conveniências e distribuidoras de bebidas se tornaram focos de aglomeração e por isso vai esperar até terça-feira (12) para começar a discutir a retomada gradual das atividades econômicas que ainda estão restritas.

Emanuel disse que tem discutido com os setores econômicos a retomada das atividades. Academias, feirantes e lojistas de shopping centers tem reivindicado junto ao Poder Executivo a liberação de suas atividades. “Sinto o drama dessas pessoas, mas tenho que trabalhar com o coração na ponta da caneta. Não posso colocar em risco a população”.

segmentos a retomada das atividades, sempre com foco no controle da pandemia. “Se os casos da Covid-19 estiverem controlado, vou discutir em maio a retomada lenta, gradual e segura das demais atividades economicas”, frisou. 

Até o momento, estão permitidos funcionamento da atividade comercial de forma restrita e também com horário reduzido. Prestação de serviços – como clínicas, escritórios e salões de beleza – também foram permitidos com horários reduzidos.

Além disso, atividades do poder público que geram aglomerações continuam suspensas. De 11 de maio até 28 de junho, foram suspensas a realização de atividades do Siminina, centros de convivência de idosos e de crianças e adultos. Os benefícios do transporte coletivo – como passe livre estudantil – continuarão suspensos até o dia 17 de maio. 

Leia Também:  PF investiga desvio de R$ 200 milhões entre transportadoras e Petrobras em MT

Isso porque, o prefeito ainda discute a possibilidade de retornar as aulas nas escolas públicas e particulares a partir de 18 de maio. “Vai depender do nosso diálogo com o Ministério Público e com as instituições privadas de ensino. Tudo vinculado ao comportamento da Covid-19 em Cuiabá”, condicionou, ao adiantar que o sentimento dele é de que as aulas nas escolas municipais não devem retornar ainda neste mês. 

As estações de ônibus continuarão funcionando de 11 de maio a 28 de junho com o esquema de higienização. Ele também mantém o funcionamento de 70% da frota de ônibus até 17 de maio.

Todos os parques municipais e equipamentos públicos comunitários – quadras, miniestádios, ginásios de esportes e congêneres – seguem fechados até o dia 28 de junho. “São focos de aglomerações e não podemos permitir aglomerações no meio desta pandemia”, argumentou, citando que as praças seguem abertas, mas orientando a população a evitar as aglomerações.

BONS RESULTADOS

O prefeito justificou as medidas como forma de manter os bons resultados que a Capital do Estado vem obtendo em relação ao avanço do novo coronavírus. Ele destacou que, entre as capitais, Cuiabá tem os menores índices de casos e mortes pela Covid-19. “Não queríamos nenhum, mas é motivo de orgulho saber que o novo coronavírus está relativamente sob controle”, pontuou.

Contudo, reforçou que, para manter esses resultados, é preciso o controle das atividades, bem como a consciência da população. “Não é porque você está vendo o Centro da cidade, as lojas cheias, que você tem que ir também. Se puder, fique em casa, que assim iremos combater a Covid-19”.

Leia Também:  Empaer recebe equipamentos adquiridos com emenda parlamentar

Segundo Emanuel, além de conter o surto entre os cuiabanos, as medidas são necessárias porque, como Capital, o município acaba atendendo demandas de saúde do interior do Estado. “Essa interiorização do vírus deve acabar refletindo no sistema de saúde Cuiabá e, também por isso, mantemos as restrições”, citou.

ESTRUTURA DE SAÚDE

Na live, o prefeito também falou sobre a estrutura de saúde da Capital para atender pacientes com o novo coronavírus. Ele destacou que o antigo pronto-socorro segue como referência no tratamento da doença e conta com boa estrutura para receber paciente. “Felizmente, a esmagadora maioria dos leitos estão vagos e tomara que continue assim”.

Sobre a UPA do Verdão, que ainda não recebeu pacientesm destacou que a unidade segue em “stand by” para dar suporte em caso de superlotação do hospital de referência. “Vamos analisar no mês de maio como a Covid-19 vai se comportar para decidir se vamos abrir a unidade como Unidade de Pronto Atendimento ou se, neste momento, será destinada para atender somente os casos da Covid. Ali tem uma boa estrutura e está pronta para ser usada”, complementou. 

Confira nos anexos,  o decreto na íntegra:

Anexos:

Arquivo 01
Arquivo 02

 

 

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA