conecte-se conosco


MANCHETE 2

Enfermeira é expulsa por atender de lingerie pacientes com CoronaVirus

Publicados

em

Istoe

Uma enfermeira na Rússia foi suspensa do hospital onde trabalhava em Tula, após aparecer atendendo pacientes infectados pelo novo coronavírus apenas de lingerie por baixo do equipamento de proteção individual (EPI).

Segundo o jornal New York Post, a enfermeira não sabia que o material do equipamento de proteção era transparente. Por isso, já que estava “com muito calor”, decidiu deixar de lado sua roupa do dia a dia e usar apenas lingerie na unidade hospitalar.

A mulher atendia a ala masculina do local. Os chefes do hospital decidiram suspendê-la “por não cumprir os requisitos para roupas médicas”. O Ministério da Saúde local também aplicou uma sanção disciplinar ao departamento do hospital por violarem requisitos de segurança. No entanto, não detalhou qual seria exatamente a medida disciplinar.

 

Veja também: Mulher Melão

Mulher Melão divulga foto de novo ensaio e boa forma chama atenção

Propaganda
10 Comentários

10 Comments

  1. Edilza

    21/05/2020 - 21:50h às 9:50 pm

    Essa é sem noção! Não enxergar que o epi é transparente!? Kk

    • Joana

      22/05/2020 - 07:57h às 7:57 am

      Estória pra boi dormir!!

      • Taylor

        24/05/2020 - 13:27h às 1:27 pm

        É história burra kkk

      • Ôh BBzão

        25/05/2020 - 19:04h às 7:04 pm

        Gostosa ela!!!
        Se eu tivesse no lugar do vinho, ela sobrava!! Kkkkk

        • Ôh BBzão

          25/05/2020 - 19:06h às 7:06 pm

          Veinho**

    • Maria

      22/05/2020 - 09:39h às 9:39 am

      Mais na Russia não é de adimirar toda medica eenfermeira é prostituta.no Brasil é que prostituta não é nada alem de burra e analfabetas.e medicae enfermeira aqui é pra ser respeitadas pois só são somente isso.

  2. Pingback: Enfermeira é flagrada fazendo sexo com paciente com Covid-19; confira o o vídeo - PÁGINA DO ESTADO

  3. Maestro

    24/05/2020 - 13:02h às 1:02 pm

    Mas uma com um fetiche estranho, e podem acreditar o que não falta e gente com tara esquisita.

  4. Taylor

    24/05/2020 - 13:28h às 1:28 pm

    é uma rapariga sem noção

  5. joão das quantas

    25/05/2020 - 15:36h às 3:36 pm

    Ela chega em casa vê o Marido com uma mulher na Cama e não percebe que se trata de outra mulher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MANCHETE 2

Max “vence” Janaína por 12 a 10 e segue na 1ª secretaria, Botelho será reeleito 3ª vez na AL-MT

Publicados

em

 

.

A eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, marcada para o dia 10 de junho, já está “definida”. O deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) será reeleito para o terceiro mandato à frente do Legislativo e terá como primeiro-secretário o deputado Max Russi (PSB), matendo a atual composição do comando do Legislativo.

Desde o início das articulações, Botelho era apontado como favorito para a reeleição. A “disputa” estava na 1ª secretaria, que tinha como postulante, além de Max Russi (PSB), a deputada Janaína Riva (MDB).

O “martelo” a favor de Russi foi batido em reunião na casa de Eduardo Botelho nesta quinta-feira. O grupo a favor de Botelho tem apoio de 22 parlamentares e, entre eles, Russi saiu vencedor para ocupar a função de ordenador de despesas do parlamento estadual.

Ele contava com apoio de 12 parlamentares contra 10 de Janaína Riva. Com isso, a única deputada da Assembleia Legislativa seguirá como vice-presidente.

Os demais cargos ainda serão preenchidos. Na reta final, Max conseguiu reverter o apoio dos parlamentares Elizeu Nascimento (PSL), delegado Claudinei (PSL) e Dilmar Dalbosco (PSL), que estavam com Janaína.

Outro fator que pesou contra a emedebista assumir a primeira-secretaria foi a colaboração premiada do seu pai, José Geraldo Riva, que comandou o Legislativo por cerca de 20 anos. Ele entregou, em depoimentos ao Ministério Público Estadual, os atuais parlamentares Carlos Avalone (PSDB), Nininho (PSD) e Sebastião Rezende (PSC).

RITO

A Assembleia definiu o rito da eleição da Mesa Diretora nesta semana. Ela irá acontecer a partir das 9 horas e o processo de votação ocorrerá de forma mais longa que os anteriores em função da pandemia do novo coronavírus. O registro de chapas à eleição deve ser realizado até o dia 8 junho de 2020.  O prazo e horário para inscrição de chapas são improrrogáveis.

A eleição será feita por escrutínio secreto, mediante apresentação de cédula completa, e por maioria absoluta de votos. Caso não seja obtida a maioria absoluta, será eleita para a composição da Mesa Diretora, a chapa que alcançar maioria relativa em segundo escrutínio. Os eleitos tomarão posse em 1º de fevereiro de 2021.

Durante a eleição serão mantidas medidas de segurança especiais, visando a prevenção de contágio do novo coronavírus (Covid-19). De acordo com consultor legislativo da Mesa Diretora, José Domingos Fraga, não há restrições para os deputados acessarem o Plenário, na hora da votação, mas recomendações. “O deputado deve estar usando máscara facial e manter a distância mínima de 1,5m um do outro”, disse.

A princípio, segundo o consultor, quem deve estar em Plenário são o presidente Eduardo Botelho (DEM), a vice-presidente Janaina Riva (MDB) e o 1º secretário Max Russi (PSB).

“Como a sessão é remota, a recomendação é que cada deputado fique em seu gabinete, e conforme o presidente for chamar o deputado por nome, de cada bancada, para dirigir ao Plenário e votar, ele pode permanecer em Plenário, mantendo o distanciamento mínimo de 1,5m. Não tem nenhuma limitação, apenas recomendações”, afirmou Fraga.

Para concorrer à eleição, segundo o consultor e ex-deputado, a chapa deve requerer a inscrição por escrito, em três vias, com a assinatura de todos os seus integrantes. Não se admitirá inscrição de chapa incompleta ou que contenha integrante de outra já inscrita.

A chapa completa é composta por sete integrantes: o presidente, um 1º e um 2º secretários, um 1º e um 2º vice-presidentes e um 3º e um 4º secretários. O requerimento deve ser apresentado ao gestor de gabinete do Presidente da Mesa Diretora em exercício.

PEC Janaina Riva

No início de abril, os deputados, por 23 votos favoráveis, aprovaram o Projeto de Emenda Constitucional 01/2020, de autoria das lideranças partidárias, que mudou a data de eleição da nova Mesa Diretora da Assembleia Legislativa – biênio 2021/2023. Antes era realizada em setembro. O único deputado que se absteve foi Ulysses Moraes (PSL).

A PEC, chamada de ‘PEC Janaina Riva’, foi apresentada pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), e assinada pelas lideranças partidárias, para permitir que a vice-presidente Janaina Riva (MDB), única mulher no Parlamento há duas legislaturas, participe em alguma das chapas nas eleições da Mesa Diretora.

 

Fonte: Folha Max

Continue lendo

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA