POLÍTICA MT

EP detona postura do MDB em MT e dispara: “virou partido da bajulação”

Publicados

em

 

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), afirmou que não compareceu no evento do partido, realizado na última semana, como uma forma de dizer para as lideranças da legenda pararem com a ‘bajulação’ ao governador Mauro Mendes (DEM). As declarações foram dadas na manhã desta quinta-feira (29), em entrevista à Rádio CBN Cuiabá.

“Se fosse um encontro do partido, estaria pronto para ir. Não fizemos um encontro do partido em Chapada. Fizemos um encontro para desfilar autoridades do Governo estadual com suas inverdades ludibriando mais de 20 prefeitos. Fizeram um evento para bater palmas para o governador e para alguns dos seus secretários. Então, a minha ausência foi uma forma de dizer ao meu partido para parar com essa bajulação e que se imponha e seja um partido de respeito”, disse o prefeito.

Ainda segundo o prefeito, ele esteve com o presidente regional da sigla, Carlos Bezerra (MDB), que o contou que teria se decepcionado e saído descontente do encontro. “Ontem mesmo, recebi a visita do deputado Carlos Bezerra. Conversamos muito sobre isso e ele me deu razão total. Ele achou que seria um encontro de debate interno para discutir o partido e quando chegou lá quando e viu a programação, secretário A ia contar a história de sua pasta, secretário B vai contar outras histórias que ele sabia que não correspondia a verdade. Então, ele se decepcionou e aproveitou que tinha que ir ao médico e saiu e nem ficou no evento”, revelou.

Leia Também:  De biquíni, Carol Peixinho ostenta flexibilidade em performance ousada

Emanuel também comentou que durante a conversa com Bezerra os dois decidiram realizar uma nova reunião do partido em Cuiabá. “Sugeri a ele que eu possa fazer um encontro em Cuiabá com todos prefeitos do MDB e com a presença dele. Aí discutiríamos com os prefeitos e vice-prefeitos o sentimento municipalista do partido. Faríamos um encontro com os deputados estaduais e as lideranças do partido. Ele gostou da ideia e ficamos de marcar a data”, explicou Pinheiro.

Em relação à possibilidade de saída da legenda e a candidatura ao Governo do Estado nas eleições de 2022, Emanuel afirma que não tem intenção de deixar o MDB e ressalta que só será candidato se for a vontade de Deus e população cuiabana. “Não penso nisso até porque não tenho essa arrogância. Existem outros nomes no partido e eles estão no caminho errado em apoiar o que está aí. Agora, se vai ser eu o candidato ou não, até vejo com dificuldade porque só Deus me tira da cadeira de prefeito de Cuiabá e tem que ter um papo tête-à-tête com o povo cuiabano e eles têm que entender que Emanuel como governador pode fazer mais do que como prefeito mas o meu compromisso é com o provo cuiabano”, concluiu.

Leia Também:  Confronto entre manifestantes palestinos e soldados israelenses na Cisjordânia deixa mortos

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA