POLÍTICA MT

“Estado que mais cria gado e tem gente na fila de ossos”, detona Lula

Publicados

em

 

O ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), teceu duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) quanto ao aumentos de diversos produtos da economia brasileira, em especial combustíveis e alimentos. Lula usou como exemplo o caso fila dos ossinhos num açougue do bairro CPA III, em Cuiabá, que repercutiu nacionalmente.

“O Bolsonaro tem sido muito irresponsável. Ele é como o marido que não consegue cuidar da sua família e fica culpando o vizinho. Ele hoje confessa que não entende nada de economia, que é o Guedes que tem que cuidar disso. Ele deveria entender pelo menos o aumento do preço, deveria entender que em Mato Grosso, estado que mais cria gado no Brasil, tem gente na fila do açougue pegando osso”, disse o ex-presidente em entrevista a Rádio Capital FM (101,9).

O ex-presidente também comentou sobre a política de combate a fome que implantou no país durante os 8 anos em que ocupou a presidência e voltou novamente a citar a “fila dos ossinhos” em Cuiabá. “Fome não é fenômeno da natureza, é falta de vergonha de quem governa esse país”, disparou.

Leia Também:  Trump assina pacote de incentivos econômicos para aliviar prejuízos do novo coronavírus nos EUA

Em declarações recentes, Bolsonaro atribuiu as altas nos preços dos alimentos, combustíveis e gás de cozinha aos governadores dos estados, por não reduzirem o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Sobre os combustíveis, porém, o petista culpa a política do Governo Federal pelas recorrentes altas, pois, somente neste ano, a gasolina subiu 51%. Lula argumenta que essa é uma situação “inadmissível”, já que o Brasil é um país independe na produção de petróleo.

“É inadmissível o combustível subir mais uma vez, a gasolina subir mais uma vez. Isso teria explicação de subordinar o preço do nosso combustível a uma política de preço internacional se o Brasil fosse importador de petróleo, se fosse dependente. O Brasil é autossuficiente na produção de gasolina e de óleo diesel, portanto a gente não teria que estar subordinado a preço internacional. Sinceramente, não tem explicação, o Brasil pode ter um preço próprio e nós fizemos isso quando éramos do governo”, acrescentou Lula.

Na entrevista, o ex-presidente também comentou sobre o pacote de redução de impostos anunciado pelo governador Mauro Mendes (DEM) nesta terça-feira, entre eles da energia e do combustível. Lula defendeu que os governadores façam o que for necessário para beneficiar a população, já que o Governo Federal não estaria cumprindo com suas responsabilidades.

Leia Também:  Policial alega ter transtornos mentais e Justiça suspende ação

“O governador pode manusear o ICMS, então, eu acho que se eles tiverem as disposições de reduzir, acho importante que façam a discussão da possibilidade de reduzir impostos. Acho que qualquer redução de impostos que se fizer é necessária para amenizar o sofrimento do povo brasileiro. Mas, o governo brasileiro precisa assumir a responsabilidade porque não tem explicação, quem está ganhando com isso são os investidores nas ações da Petrobras e não os consumidores que, na verdade, são vítimas quando pagam o preço do combustível e quando vão comprar um quilo de feijão no supermercado”, concluiu.

Fonte: Folha Max

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA