Geral

Estagiários do Procon Estadual se expõe em meio a quarentena por surto de coronavírus

Publicados

em

Reprodução

Os estagiários do Procon Estadual, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setac) do poder executivo de Mato Grosso, localizado na rua Baltazar Navarros, 567, antigo Sine, continuam com a mesma rotina de trabalho de dias normais, 6 horas diárias, mesmo com vários decretos e medidas preventivas sendo anunciadas pelo governo de Estado.

Segundo informações, estagiários de vários setores das coordenadorias do órgão estão trabalhando e mantendo a rotina normal de trabalho sem nenhum tipo de recurso que garanta a segurança e a saúde dos estudantes. Enquanto servidores concursados estão trabalhando de suas casas em home office.

O Procon, ou a Setasc, se quer disponibilizou máscaras descartáveis, álcool em gel, ou qualquer outro tipo de recurso para higienização das pessoas, dos estudantes, ou do local para combater a disseminação do coronavírus dentro da unidade. Medida necessária já que várias pessoas entram no órgão todos dias pra registrar reclamações.

Entre os relatos que demonstra a falta de sensibilidade dos gestores, está o caso de um estagiário que voltou de uma viagem, dias depois sentiu sintomas que se assemelham aos do novo coronavírus. Ligando no 136, disque saúde, foi orientada a se manter em quarentena e não ir a UPA, pois o caso era suspeito e correria o risco de infectar outras pessoas no hospital. Diante da suspeita de ter contraído a COVID-19, o estudante comunicou os monitores, mas sem o atestado médico, os gestores administrativos vetaram o estudante de trabalhar em casa.

Leia Também:  Caso Raro Mulher engravida do marido e amante ao mesmo tempo

Nesse cenário, nenhuma medida preventiva ou isolamento foi executada no órgão, mesmo cientes da situação. Ainda segundo a FONTE, sendo obrigado a ir trabalhar por falta de atestado, outros estudantes que tiveram contato direto com ele durante o expediente, continuam trabalhando por escala junto a outros estagiários de outras unidades de Procons. Sem máscaras e álcool em gel ou qualquer acessório de saúde disponibilizado pelo órgão.

Segundo um estudante “boa parte dos colegas estagiários pegam ônibus para irem trabalhar e o transporte público coletivo continua com um grande fluxo de pessoas mesmo com as determinações, diante da possibilidade de novos casos suspeitos surgirem dentro do órgão os estagiários se expondo faz mal para o bem estar de todos”.

De acordo com a LEI do Estágio Nº 11.788, DE  25 DE SETEMBRO DE 2008. Os estudantes devem ser acompanhados por supervisores de suas áreas da instituição de ensino ou supervisor da parte concedente, o que não está acontecendo devido a liberação dos servidores do Procon e de vários Organizações públicas por meio do decreto estadual.

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA