JUDICIÁRIO MT

Ex-governador vai ao MPE e depõe sobre a “Grampolândia Pantaneira”

Publicados

em

O ex-governador de Mato Grosso Pedro Taques (PSDB) prestou depoimento, na nesta quinta-feira (27), ao Ministério Público Estadual sobre as supostas interceptações telefônicas ilegais ocorridas durante o Governo tucano.

O caso veio a tona a três anos atrás em 2017, no qual ficou conhecido nacionalmente como “Grampolândia Pantaneira”. Militares teriam montado um escritório de “arapongagem” para ouvir ligações de adversários políticos de Taques.

O tucano foi ouvido pelo promotor de Justiça Reinaldo Rodrigues de Oliveira, em uma investigação na área civil.

Detalhes do depoimento, no entanto, não foram revelados pois a investigação está sob sigilo.
Taques se limitou a confirmar que esteve na sede do Ministério Público para falar sobre o caso.
“Prestei esclarecimento no inquérito civil público dos Gramps, onde só existem cópias dos inquéritos policiais que estão com a delegada, nada mais. ”, disse Taques.

Grampolândia Pantaneira

O ex-governador protocolou pedido para ser ouvido pela força-tarefa da Polícia Civil no ano passado.

A força-tarefa é comandada pelas delegadas Ana Cristina Feldner e Jannira Laranjeira.

Leia Também:  Avião da FAB que vai levar ajuda humanitária à Ucrânia e resgatar brasileiros sai do Recife

Ele foi apontado pelo cabo da PM Gerson Correa –  que teve perdão judicial na Justiça Militar por revelar diversas artimanhas do caso – como sendo um dos “donos” do esquema de escutas ilegais que ocorreu entre os anos de 2014 e 2015.

Segundo Gerson, o esquema foi montado para monitorar desafetos políticos do tucano.

“O dono disso aqui é o Paulo Taques [ex-chefe da Casa Civil] e o Pedro Taques”, disse em audiência na Justiça Militar no ano passado.

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA