Geral

Ex-Presidente da Assembleia de Mato Grosso, delata Conselheiros do Tribunal de Contas

Publicados

em

Segunda delação que atinge os membros do Tribunal de contas

Conselheiros já foram delatados pelo Ex-Governador Silval Barbosa, por desviarem 53 milhões de reais.

As autoridades do Tribunal de Contas  foram  acusados desviar, em torno de R$ 137 milhões de reais em contratos superfaturados.

Unilselva seria próximo alvo

Entenda o esquema:

Humberto Bosaipo, o ex-governador Dante de Oliveira (falecido), e os cinco conselheiros afastados do Tribunal de Contas de Mato Grosso, Antônio Joaquim, José Carlos Novelli, Sérgio Ricardo, Waldir Teis e Valter Albano, podem ter participado de mais um esquema de corrupção, que gerou prejuízos aos cofres públicos de R$ 22 milhões.

“A operação Arca de Noé foi deflagrada em 2002 e desbaratou um esquema de desvio de dinheiro da Assembleia Legislativa. Segundo denúncia, o montante desviado passou de R$ 22 milhões. A dívida da Casa, segundo Riva, era de aproximadamente R$ 25 milhões. Riva disse que, para conseguir quitar as dívidas, provenientes de campanha eleitorais de parlamentares, recorreu ao então governador Dante Martins de Oliveira (morto em 2006)”.

As informações teriam sido apresentadas em um depoimento de delação premiada, do ex-deputado estadual José Geraldo Riva, que na oportunidade exercia o cargo de primeiro secretário.

De acordo com o depoimento de Riva, os conselheiros, Antônio Joaquim, José Carlos Novelli, Sérgio Ricardo, Waldir Teis e Valter Albano teriam participados de auditorias fraudulentas, que omitia dados para beneficiar os políticos envolvidos:  Humberto Bosaipo, o ex-governador Dante de Oliveira (falecido) e José Geraldo Riva.

“Para justificar os repasses, eram usadas empresas de fachada, por meio de licitações direcionadas, as “licitações de mural”. A necessidade do serviço era divulgado somente no mural da Assembleia “para facilitar que as empresas usadas para lavagem de dinheiro ganhassem a licitação”.

Leia Também:  Geisy Arruda faz post pro natal de calcinha e Twitter vai a loucura: “ mamãe Noel tá no jeito”

Os cinco conselheiros já foram afastados em 2017, por determinação do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), após delação do ex-governador Silval Barbosa, que detalhou suposto pagamento de propina para Antônio Joaquim, José Carlos Novelli, Sérgio Ricardo, Waldir Teis e Valter Albano.

“Na delação do ex-governador Silva Barbosa os conselheiros teriam recebido R$ 53 milhões em propina”.

Os jornalistas Laerte Lanes (O Matogrosso) e Pedro Ribeiro (Pagina12) já havia realizados várias denúncias envolvendo as atividades dos cinco conselheiros afastados, na época, os jornalistas estavam incomodando tanto os membros da corte, que o jornalistas até acabaram presos, acusados de extorsão, após uma “reunião”, que caracterizou armação para impossibilitar a continuidade das denúncias dos jornalistas.

“Os 5 conselheiros são acusados por corrupção passiva, sonegação de renda, lavagem de dinheiro e organização criminosa”. 

Vale ressaltar que durante o período de execução dos projetos e obras da Copa do Mundo de 2014, que na sua maioria não ficaram prontas, e até hoje tem obra inacabada, os cinco conselheiros eram também responsáveis por fiscalizar o investimento do recurso público.

“Mais de R$ 1 bilhão jogado fora”.

“O Veículo Leve Sobre Trilho (VLT) que só de estudo de viabilidade já vai completar seis (6) anos, quatro anos da gestão José Pedro Gonçalves Taques e um ano e cinco meses da gestão Mauro Mendes virou um verdadeiro “Elefante Branco”, travando as duas maiores cidades de Mato Grosso, Cuiabá e Várzea Grande”.

Leia Também:  Cassado, prefeito compara caso ao de Dória e vê excesso de juíza na decisão

Mesmo com os nomes envolvidos até nos escândalos das obras da Copa do Mundo de 2014, em fevereiro deste ano de 2020, os cinco conselheiros tentaram retornar aos seus cargos, mas o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) manteve o afastamento.

O ex-governador Silval Barbosa, ficou cerca de 2 anos presos, como também, o ex-deputado José Geraldo Riva, que ficou por cerca de 6 meses presos, e estão devolvendo de uma forma ou de outra, recursos desviados para os cofres públicos, resta saber quando os cinco conselheiros: Antônio Joaquim, José Carlos Novelli, Sérgio Ricardo, Waldir Teis e Valter Albano irão degustar das quentinhas do Centro de Custódia de Cuiabá.

As informações da delação de José Riva agrava ainda mais a situação dos conselheiros afastados que estavam lutando para viabilizar o retorno as atividades no Tribunal de Contas de Mato Grosso.

O ex-deputado estadual do Mato Grosso José Riva, que responde a mais de 100 processos, afirmou em depoimento à Justiça que participou de esquema de desvio de dinheiro na Assembleia Legislativa de Mato Grosso no período de 1999 a 2002.
Para justificar os repasses, eram usadas empresas de fachada, por meio de licitações direcionadas, as “licitações de mural”. A necessidade do serviço era divulgado somente no mural da Assembleia “para facilitar que as empresas usadas para lavagem de dinheiro ganhassem a licitação”.

O Matogrosso

Teis, Novelli, Antonio Joaquim, Sérgio Rcardo, Albano

Propaganda
9 Comentários

9 Comments

  1. Maria celi custódio disse:

    É lamentável que as pessoas que são eleitas pelo povo, para lutar pelo povo, roubam os direitos do povo! Derrotas para o POVO!

  2. Elvis Levino disse:

    Mais lamentável ainda, é que todas as pessoas envolvidas nos escândalos se desvios, superfaturamentos, licitações fraudulentas e uma série de ilícitos continuam, mesmo escancaradamente, vivendo de boa livres, leves e soltas. Nossa “justiça” não consegue encarcerar ninguém pelos crimes cometidos por um tempo justo e muito menos devolvem o que tiraram do povo pagador de tributos.

  3. Pacheco disse:

    este albano cone bola, junto com Dante há décadas

  4. Jose marcio disse:

    O Brasil é um país as avessas. Como pode existir um órgão fiscalizador ser formado por politicos corruptos e comparsas de políticos corruptos. Corja.

  5. Clô Guilhermino disse:

    Só acho muito estranho que Riva confessa atos criminosos até 2002. O Conselheiro Valdir Teis tomou posse em 2006. Como???

  6. Nilton Borges disse:

    Lamentável que essas pessoas abusam da da confiança,conheço todos pessoalmente e até parece ser Santos.

  7. Ronaldo disse:

    Trabalhei com o Dr. Waldir Júlio Teus na Sefaz, durante o tempo que perdurou sua gestão. Trata-se de um dos homens mais honestos que já vi. Portanto, não acredito sobre sua participação nesse terrível esquema de corrupção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA