ECONOMIA

Henrique Meirelles defende ‘imprimir dinheiro’ para conter crise do novo coronavírus

Publicados

em

Henrique Meirelles defendeu nesta quarta-feira (8) “imprimir dinheiro” para recompor a economia durante a crise causada pelo novo coronavírus.

Em entrevista à BBC, o secretário de Fazenda de SP afirmou que a retração da economia será brutal e que, por isso, não existe risco de inflação caso o Banco Central emita a moeda para o pagamento, por exemplo, do coronavoucher.

O Banco Central tem grande espaço de expandir a base monetária, ou seja, imprimir dinheiro, na linguagem mais popular, e, com isso, recompor a economia. Não há risco nenhum de inflação nessa situação.”

E acrescentou, sobre o aumento da dívida pública e o aumento da percepção de risco do Brasil:

“Olha, dos males o menor. Qual é a alternativa [ao aumento de dívida]? A alternativa é um colapso econômico, que é pior, porque aí nós teremos aumentos posteriores da dívida. Porque aí inclusive o PIB cai, e a dívida como percentual do PIB já aumenta matematicamente. Fora a questão do desemprego e da capacidade da economia de gerar emprego e renda no futuro e evidentemente a arrecadação pública.”

Leia Também:  Banco do Brasil abre concurso para 4.480 vagas

 

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA