ENTRETENIMENTO

Júlio Cocielo vira réu em processo por racismo após comentários no Twitter

Publicados

em

Júlio Cocielo se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais nesta terça-feira (15) após a juíza Cecilia Pinheiro da Fonseca, da 3ª Vara Criminal de São Paulo, aceitar a denúncia feita pelo Ministério Público sob acusação de racismo.

Por isso, o influenciador digital de 27 anos se tornou réu na Justiça de São Paulo. Caso seja condenado, a pena é de dois a cinco anos de prisão. As informações foram divulgadas pelo colunista Rogério Gentili, do “UOL”.

De acordo com a promotora Cristiana Moeller Steiner, Cocielo recebeu acusações após a repercussão de publicações de cunho racista que o influenciador fez no Twitter entre novembro de 2011 e junho de 2018. A mais recente delas foi durante a Copa do Mundo de 2018, quando o youtuber escreveu que “Mbappé conseguiria fazer um arrastão top na praia, hein”. Após a ocasião, internautas encontraram outras publicações.

Em resposta, Cocielo disse à Justiça que é humorista e nega ter praticado racismo. “Contar uma piada sobre negros não transforma um humorista em uma pessoa racista ou propagador do ódio contra negros, da mesma forma que contar uma piada sobre judeus não transforma um humorista em uma pessoa antissemita”, declarou o advogado do influenciador, Maurício Bunazar.

Além do processo criminal, o youtuber já responde por uma ação civil pública, na qual o Ministério Público cobra uma indenização de R$ 7,5 milhões.

Fonte: Metropolitana FM

publicidade

publicidade

POLICIA

POLÍTICA MT

publicidade

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA