MANCHETE 2

Mauro e Emanuel brigam por ferrovia

Publicados

em

 

Para não perder dividendos eleitorais nem apoio na Baixada Cuiabana, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) fez algo raro nesta terça-feira (20) durante evento na Secretaria Municipal de Educação (SME): apoiou, defendeu e elogiou indiretamente uma medida do governador Mauro Mendes (DEM), que anunciou na segunda-feira (19) o edital do chamamento público para a construção da primeira ferrovia estadual em Mato Grosso, que vai interligar Cuiabá a Rondonópolis, bem como Nova Mutum e Lucas do Rio Verde.

Como estratégia para ‘dividir’ com o governador a atenção da construção da ferrovia, a assessoria de imprensa de Emanuel divulgou o evento na SME como sendo a aprovação e assinatura de um manifesto de apoio a Lei Estadual 685/2021, que criou o Sistema Ferroviário Estadual (SFE).  “Essa lei é de iniciativa do governador do Estado, mas eu sou justo, eu quero apoiar o que for melhor para Cuiabá”, falou Pinheiro. “Eu estou defendendo o movimento pró-ferrovia, eu sou a favor da ferrovia para entrar em Cuiabá, assim como sou a favor do VLT na capital mato-grossense”, afirmou Emanuel.

Leia Também:  Kalil mantém liderança em VG, mas Flávio tem bom crescimento

Com ajuda do seu secretário de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico e também presidente do Fórum Pró-Ferrovia, Francisco Vuolo, Emanuel ponderou sobre críticas que têm sido feitas à forma como foi organizado o chamamento público para a construção da ferrovia.  Um dos principais críticos ao projeto é Vicente Vuolo, coordenador do movimento Pró 3 Ferrovias, e irmão do secretário de Emanuel. O líder do movimento que visa a construção de três rodovias no Estado diz que a forma como o procedimento foi feito tende a facilitar a participação apenas de empresas que já atuam no setor em Mato Grosso, prejudicando a abertura do mercado. “Não existe direcionamento e não existe nada disso, o que existe é a abertura de um processo que permite a empresas apresentarem projetos, que serão apresentados, se é essa ou aquela não importa”, comentou o secretário.

Emanuel agiu rápido para garantir dividendos políticos que serão trazidos com a ferrovia em Cuiabá, sonho antigo da população. Ao anunciar uma ferrovia que passa por Rondonópolis e Cuiabá, Mauro beneficiará duas cidades com colégios eleitorais gigantescos, que podem garantir sua reeleição, caso seja candidato.

Leia Também:  Ibope mostra empate "cravado" entre EP e Abílio; 3% de indecisos decidirão eleição

Em Rondonópolis, por exemplo, Mendes perdeu para Wellington Fagundes (PL), que obteve 42% dos votos contra 34% do atual governador. Em Cuiabá, apesar de ter vencido com 58% dos votos, a polarização com Emanuel e a demora na solução da “novela VLT” podem ser aliviadas com o anúncio dos trilhos chegando até a Capital.

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA