POLÍTICA MT

Mendes entra com pedido no TRE para adiar a eleição suplementar

Publicados

em

O governador Mauro Mendes (DEM) consultou informalmente o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Mato Grosso, desembargador Gilberto Giraldelli, sobre a possibilidade de adiar a eleição suplementar para o Senado no dia próximo dias 26 de abril. Mendes avalia a possibilidade junto a Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Em resposta, o chefe da Corte Eleitoral mato-grossense explicou que a decisão que fixou o prazo para a realização a eleição foi do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e que o ingresso de um recurso no TRE seria perda de tempo.

Conforme o  apurou com fontes ligadas ao Palácio Paiaguás, o governo trabalha com a defesa de que se a eleição para o Senado, ocorrer juntamente com as eleições municipais de outubro, haverá uma economicidade de recursos da Justiça Eleitoral e do governo do Estado. Isso porque o Estado também gasta recursos para auxiliar o pleito eleitoral com policiamento, entre outros custos.

O segundo tópico para a defesa do adiamento seria que o Estado não ficaria prejudicado no Senado, já que a senadora cassada Selma Arruda (PODE) continua no cargo, e, caso a Mesa Diretora decrete a perda do mandato dela, Carlos Fávaro (PSD) assumirá a vaga conforme liminar do Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia Também:  Prefeitura anuncia rodízio de veículos; mercados e bancos só atenderão por final de CPF; confira o decreto na íntegra

E o terceiro argumento seria a aglomeração de pessoas durante a campanha, no período em que o Brasil estaria passando por monitoramento para impedir que o novo coronavírus se prolifere e se torne um problema de saúde pública no Estado.

Mesmo informal e sem qualquer documento oficial, a notícia caiu como uma bomba no meio político do Estado. Vários pré-candidatos passaram a terça-feira (3) buscando informações a respeito do assunto, além de várias articulações.

Procurada, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) disse que não teria nenhum estudo a respeito do assunto. Já o governador Mauro Mendes não respondeu os questionamentos da reportagem.

A assessoria de comunicação do governador também foi procurada e, até a publicação desta matéria, não se manifestou. O espaço segue aberto para qualquer esclarecimento.

 

Gazeta Digital

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA