POLÍTICA MT

Mendes rebate Emanuel sobre BRT: “só falta falar que é contra a ferrovia”

Publicados

em

 

O governador Mauro Mendes (DEM) rebateu na manhã desta segunda-feira (20) as declarações do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), que afirmou “quem manda no município é ele e que o modal BRT não deve sair”. A resposta de Emanuel veio após ele ser questionado sobre a aquisição dos 144 ônibus do transporte coletivo, que possuem portas incompatíveis com as estações dos Ônibus de Trânsito Rápido (BRT), que deve substituir o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

Segundo Mauro, o prefeito da Capital se posiciona contra as atitudes delas apenas por conta da rivalidade política entre ambos. “É lamentável, só falta o prefeito dizer que é contra a ferrovia porque o governador está trazendo, porque tudo que a gente fala, ele fala que é contra. Ele tem mais é que trabalhar com seriedade, cuidar da Prefeitura, do interesse do cidadão e daquilo que importa”, disse o governador em entrevista à Rádio Capital.

Em seguida, alfinetou o emedebista ao citar denúncias de corrupção contra a atual gestão. “Cuidar para que não tenha corrupção na Prefeitura, ele já teve sete secretários afastados por corrupção pela justiça, tem que se preocupar mais com isso e parar de ficar conversando fiado. Ele não manda sozinho em Cuiabá, assim como não mando sozinho em lugar nenhum. Nós vivemos numa democracia e quem manda é o povo, ele é um empregado do povo e quem manda é o cidadão”, acrescentou Mendes.

Leia Também:  Rio fecha 97 estabelecimentos por não cumprir medidas restritivas

O governador ainda citou outro imbróglio, da compra de mais de 140 ônibus para atender ao transporte público na Capital. Segundo o governador, os veículos não atendem ao projeto do BRT e ele garantiu que a prefeitura foi notificada quanto à questão dos ônibus de piso baixo. “A prefeitura recebeu várias notificações dizendo que para o BRT tem que ser piso baixo, porque é melhor para o cadeirante, para o idoso, criança e gestantes. Além disso, a prefeitura não comprou ônibus nenhum não, foi a empresa privada. Não tem um real da prefeituras nesses ônibus e nós notificamos a prefeitura, então provavelmente esses ônibus vão poder ser usados nos bairros”, explicou.

O governador, que classifica o VLT como filho da corrupção, afirmou que o BRT deve ser implantado em Cuiabá e Várzea Grande.  “Eu tenho certeza que as pessoas não estão preocupadas com luxo e muito menos preocupadas em manter um VLT, que é filho da corrupção no Estado de Mato Grosso. Hoje defender o VLT, só defende aqueles que têm intimidade com a corrupção. Ele nasceu pela corrupção e nós vamos enterrar esse veículo que representa a corrupção aqui na Capital”, concluiu Mendes.

Leia Também:  Silval entra com pedido de Habeas Corpus para não comparecer na CPI do Paletó

 

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA