MULHER

Mulheres afegãs enfrentam dificuldades ao dar à luz sob o regime do Talibã

Publicados

em


source
mulheres afegãs
Getty Images

mulheres afegãs



Desde que o regime do Talibã assumiu o Afeganistão, mulheres enfrentam situações precárias ao dar a luz.  Rabia carrega no colo seu bebê recém-nascido há poucos dias em um pequeno hospital na província de Nangarhar, no leste do Afeganistão. ⁠”Este é meu terceiro filho, mas a experiência foi totalmente diferente. Foi horrível”, disse ela ao BBC.⁠


⁠ Em questão de semanas, a maternidade onde Rabia deu à luz foi reduzida ao atendimento básico. Ela não recebeu remédios nem alimentação.⁠ Sem ventilação, a temperatura no hospital batia 43°C. A energia havia sido cortada e não havia combustível para operar os geradores. ” ⁠ Sobreviver ao parto significa que Rabia foi uma das mulheres que tiveram sorte. O Afeganistão tem uma das piores taxas de mortalidade materna e infantil do mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Na média, 638 mulheres morrem no parto a cada 100 mil nascidos vivos.

Leia Também:  Luísa Sonza posta vídeo rebolando com direito à “tapinha no bumbum”

Com a ajuda extrangeira financiando a saúde, este país árabe aos poucos foi melhorando as taxas de mortalidade materna e infantil. No entanto, com a chegada do grupo extremista, a ajuda externa foi encerrada e o país se isolou.

O UNFPA estima que, sem apoio imediato para mulheres e meninas, poderia haver 51 mil óbitos maternos adicionais e 4,8 milhões de gestações indesejadas. Além disso, o número de pessoas sem acesso a clínicas de planejamento familiar pode dobrar até 2025 no Afeganistão.

As novas restrições do Talebã às mulheres estão prejudicando ainda mais o já frágil sistema de saúde do país. Em muitas áreas, as mulheres precisam cobrir o rosto com um niqab ou burka.

O UNFPA está buscando US$ 29,2 milhões (cerca de R$ 155 milhões) como parte de um apelo mais amplo da ONU por US$ 606 milhões (R$ 3,2 bilhões) para atender às necessidades vitais de mulheres e meninas afegãs. A entidade está confiante de que, dada a necessidade desesperada de assistência humanitária, o Talebã vai permitir o transporte de recursos médicos e de saúde, além da implantação de clínicas móveis.

Leia Também:  Horóscopo do dia: previsões para 24 de setembro de 2020
Fonte: IG Mulher

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA