CIDADES

Professora Cristina Campos, depois de 20 anos de pesquisa, divulgará o Movimento Intensivista cuiabano

Publicados

em

A professora doutora Cristina Campos pesquisou por 20 anos para produzir o material que está lançando

A professora doutora Cristina Campos vai lançar no próximo dia 20 uma plataforma digital e mais 3 cadernos de cultura, tratando da literatura intensivista, que floresceu na capital mato-grossense a partir de 1948. O trabalho faz parte do Programa Mato Grosso Criativo, lançado pelo Governo do Estado e reúne 5 secretarias visando criar política, diretrizes e ações para o desenvolvimento da economia criativa no território mato-grossense.

Com o título de “Criação da biblioteca do Intensivismo” a doutora Cristina recupera obra dos chamados poetas intensivistas, que, precedeu o Movimento Concretista no Brasil que tem exponenciais da envergadura de Haroldo de Campos, Décio Pignatari e Augusto de Campos.

“Eu passei mais de 20 anos pesquisando esses documentos que não são fáceis de se encontrar. Às vezes uma família tem um livro, um documento e eu fui garimpando e escaneando tudo isso. Então nesse tempo reuni uma quantidade grande de documentos, digitalizados que vão facilitar o acesso das pessoas a conhecer e escrever sobre esses movimentos, que são pouco conhecidos”, explicou Cristina Campos.

 

Cadernos impressos com os destaques da pesquisa

 

W.A.COUTINHO

No caso do Intensivismo, apesar de importante para a cultura brasileira, o movimento foi bem menor e regionalizado. A principal figura de destaque nacional foi um poeta carioca chamado Wlademir Dias-Pino, que, em 1948 fundou, em Cuiabá, esse movimento literário de vanguarda, denominado Intensivismo. Ele propôs inovações formais, poesias visuais etc que tiveram reflexos inclusive nas artes plásticas dos anos 50 e 60.

Leia Também:  Sugestão de pauta - Prefeito e presidente da ALMT lançam novo polo de vacinação

O manifesto desse Movimento Intensivista foi publicado em 1951, na capital do Mato Grosso. E a proposta, tinha ideias revolucionárias de desenvolvimento da poesia, que passaram a serem tratadas de forma mais visual e provocativa.
Esse movimento teve uma influência decisiva na obra do poeta Wilson Araújo Coutinho, que, se por um lado era um político forte, que foi vereador por vários mandatos, presidente da Câmara e até prefeito de Cuiabá, de outro produziu uma obra literária das mais relevantes.

Poeta e escritor Wilson Coutinho um dos precursores do Intensivismo

 

 

Conhecido no meio literário como W.A. Coutinho, Wilson Coutinho escreveu cerca de 20 livros. Alguns até hoje considerados muito ousados, como um de 1977, onde ele propõe que o próprio leitor escreva o livro. A publicação sequer um título, apenas com um pontilhado, para que o próprio leitor escreva o que quiser. A obra completa de W.A. Coutinho deve ser lançada ainda esse ano, pelo advogado e escritor Eduardo Mahon.

A obra do poeta e ex-vereador cuiabano, juntamente com o de cerca de 20 outros autores cuiabanos, é o que a professora doutora Cristina Campos está recuperando e disponibilizando para a comunidade, por meio de dois formatos de mídia: o meio impresso, com a publicação de 3 cadernos intitulados “Intensivismo – Vanguarda Literária Mato-Grossense” e o meio virtual, num site.

Leia Também:  Mega-Sena acumulada: veja os números sorteados neste sábado

O trabalho pretende popularizar e tornar acessíveis obras até hoje inéditas desses autores, além de arquivos particulares e todo o material dessa vertente cultural que, apesar de pouco conhecida tem uma importância fundamental na cultura nacional.

O PROGRAMA

O MT Criativo é um programa do governo estadual que visa desenvolver uma rede de negócios na área da chamada Economia Criativa, que abrange o mundo das Artes, contemplando projetos de artes visuais, artes cênicas, audiovisual, música, literatura, fotografia, artesanato, bibliotecas, museus e galerias, patrimônio material e imaterial, cultura popular e tradicional; dos Negócios digitais, fomentando startups, mídia digital, produção de software, de games mídias sociais etc; e ainda as denominadas criações funcionais, como a arquitetura, o urbanismo, a moda, o design, a publicidade, a gastronomia e o turismo.

Basicamente, para que um projeto seja contemplado pelo programa, é necessário que seja criativo, de diversidade cultural, de sustentabilidade e inclusão social. A proposta é identificar, desenvolver, fortalecer e fomentar os segmentos e territórios criativos e promover a geração de novos empreendimentos, trabalho e renda.

O MT Criativo faz parte do programa a Secretaria de Estado de Cultura (SEC), Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas), Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia e Inovação (Seciteci) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec).

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA