CIDADES

Saúde abre terceira fase da vacinação contra a gripe e reforça importância da imunização durante a pandemia

Publicados

em


A Saúde de Várzea Grande segue calendário de vacinação do Ministério da Saúde e abre a terceira fase da imunização contra Influenza – H1N1, que contempla nove grupos prioritários. Esta nova fase  inclui pessoas com comorbidades, com deficiência permanente, caminhoneiros, portuários, profissionais das forças de segurança e salvamento, das forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade e população privada de liberdade.

Como explica a superintendente de Vigilância em Saúde, Relva Cristina de Moura, os postos de vacinação estão abertos e já atendendo a população deste novo grupo prioritário.

“As pessoas que fazem parte dos grupos prioritários das etapas anteriores e que, por algum motivo, não receberam a vacina influenza, ainda podem buscar os postos de saúde na vigência da campanha. É importante reforçar a necessidade de imunização para evitar a transmissão da gripe e diminuir o risco de internações e mortes pela doença. Considerando a pandemia da Covid-19, quanto mais pessoas estiverem protegidas das complicações causadas pela gripe, menos sobrecarga para o sistema de saúde”, alertou Relva Cristina.

As duas primeiras etapas da campanha foram abertas para pessoas acima dos 60 anos, professores, crianças de seis meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias); gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto); povos indígenas e trabalhadores da saúde.

Leia Também:  Estado e Várzea Grande se unem para entregar até 100 mil cestas básicas à famílias vulneráveis

Relva Cristina alerta sobre a baixa cobertura vacinal das etapas I e II, com 29.060 doses aplicadas, o que equivale a 33% da meta a vacinar destas etapas, que corresponde 87.398 pessoas. Os dados são do site do Ministério da Saúde – Localiza SUS – da data de 11 de junho.

“Os grupos que mais vacinamos são os Trabalhadores da Saúde, que atingimos a porcentagem de 64%, ou seja, 3.695 doses aplicadas; crianças de seis meses a 6 anos foram vacinadas, com 13.589 doses, correspondendo 52,4%, professores 50,1% com  1.569 doses aplicadas, e ainda em baixa os idosos, com 27% com 8.150 doses aplicadas. São alguns exemplos que as pessoas contempladas precisam se vacinar, a imunização evita formas graves da gripe”, exemplificou a superintendente.

Como alerta o Ministério da Saúde, segundo Relva Cristina, todos devem ficar em alerta em virtude das campanhas de vacinação da Influenza e da Covid-19 acontecerem simultaneamente. A recomendação é que a vacinação contra a Covid-19 seja priorizada, mas atenção para a administração da vacina da gripe, que requer um intervalo mínimo de 14 dias depois da vacina Covid-19.

Leia Também:  Secretário assume cadeira no Conselho Estadual de Educação

“Para quem faz parte dos grupos prioritários para as duas campanhas, deve ser priorizada a vacinação contra o coronavírus e, na sequenência, a vacina Influenza, respeitando esse intervalo mínimo de duas semanas. Para se vacinar, os integrantes de grupos prioritários devem ir até uma unidade de saúde levando a caderneta de vacinação,  um documento com foto, para que os profissionais localizem o cadastro no sistema de informação. No entanto, não ter a caderneta de vacinação em mãos não é impeditivo para tomar a vacina da gripe. Os de comorbidades devem apresentar o laudo médico, com assinatura do médico responsável e identificação do CID – Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde de Identificação. Os demais devem apresentar a  identificação de suas profissões e ou atribuições, como carteira de trabalho ou holerite deste ano”,esclareceu.

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA