REPÚBLICA

Subprocuradores dizem que Aras “em nada contribui na correção de rumos” do MPF

Publicados

em


.
Sede da PGR, em Brasília.| Foto: José Cruz/Agência Brasil

Quatro conselheiros da Procuradoria-Geral da República (PGR) escreveram carta aberta para criticar as declarações de Augusto Aras contra as forças-tarefa do Ministério Público Federal, em especial a Lava Jato. No documento, os subprocuradores apontam que o órgão é passível de críticas, mas que falas do atual Procurador Geral da República “alimentam suspeitas e dúvidas” da atuação do MPF. Na última terça (28), Aras afirmou que seria hora de “corrigir os rumos para que o lavajatismo não perdure”. Para os procuradores, “A fala de S. Exa. não constrói e em nada contribui para o que denominou de “correção de rumos””. “Por isso, não se pode deixar de lamentar o resultado negativo para a Instituição como um todo – expressando, por que não dizer nossa perplexidade -, principalmente por se tratar de graves afirmações articuladas por seu Chefe, que a representa perante a sociedade e os demais órgãos de Estado”, escreveram. A carta aberta é assinada pelos subprocuradores Nicolao Dino, Nívio de Freitas Silva Filho, José Adonis Callou de Sá e Luiz Cristina Fonseca Frischeinsen. O documento foi lido durante sessão virtual do Conselho Superior do Ministério Público Federal nesta sexta (31), que tinha como pauta a proposta orçamentária da entidade para o próximo ano. Mais cedo na sessão do Conselho, o subprocurador Nicolao Dino, que assina a carta aberta, acusou o PGR de cercear a palavra dos membros do órgão colegiado.

publicidade

publicidade

POLICIA

POLÍTICA MT

publicidade

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA