BRASIL

TSE determina desmonetização de canais de apoiadores de Bolsonaro em rede social de aliado de Trump

Publicados

em

Sessão administrativa do TSE por videoconferência | Foto: Reprodução/Ascom/TSE

Entre os alvos estão Allan dos Santos e Oswado Eustáquio

O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Luis Felipe Salomão, determinou nesta terça-feira, 7, que a rede social GETTR suspenda imediatamente repasses de valores oriundos de monetização e de outros serviços a páginas alinhadas ao presidente Jair Bolsonaro.

Entre os alvos estão Allan dos Santos e Oswado Eustáquio. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral estas pessoas publicam ameaças à democracia brasileira e são investigados em inquérito que tramita no tribunal. Os valores já repassados aos perfis devem ser direcionados para uma conta judicial.

Luis Felipe Salomão também autorizou a Polícia Federal a colher depoimento de Jason James Miller, ex-assessor do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump e um dos criadores da GETTR. Ele foi liberado e retornou a seu país. O ministro também autorizou que o brasileiro Gerald Almeida Brant seja ouvido.

Segundo o TSE, a GETTR é uma nova rede social “com planos de expansão para o Brasil e que tem concedido amplo espaço para ataques à democracia e ao sistema brasileiro de votação”.

Leia Também:  Lockdown fecha 12 mil bares e restaurantes na cidade de SP

POLICIA

POLÍTICA MT

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA