MUNDO

UE vai doar mais de R$ 800 milhões para ajudar migrantes venezuelanos

Publicados

em


.

A União Europeia (UE) anunciou nesta terça-feira (26) que contribuirá com 144,2 milhões de euros (cerca de R$ 848 milhões) à conferência internacional de arrecadação de recursos para migrantes e refugiados venezuelanos, enquanto o Banco Europeu de Investimento oferecerá 400 milhões de euros (R$ 2,3 bilhões) em empréstimos.

“A UE contribuirá para esta conferência aportando 144,2 milhões de euros em novos fundos de ajuda humanitária, cooperação para o desenvolvimento e prevenção de conflitos”, revelou o alto representande da UE para a Política Exterior, Josep Borrell, durante o encontro, organizado por videoconferência.

A ministra das Relações Exteriores da Espanha, Arancha González Laya, anunciou que o aporte da Espanha será de 50 milhões de euros em três anos, e que beneficiará principalmente Colômbia, Peru e Equador.

Borrell destacou que o Banco Europeu de Investimento “colocará à disposição dos países receptores de imigrantes 400 milhões de euros em empréstimos”.

Ajuda com necessidades urgentes

O comissário europeu de Gestão de Crises, Janez Lenarcic, explicou que, da contribuição total da UE nesta conferência, neste ano destinará 68 milhões de euros do orçamento humanitário para lidar com necessidades urgentes.

“Esses recursos permitirão encarar necessidades urgentes. Proporcionarão assistência que pode salvar vidas de refugiados e migrantes mais vulneráveis em setores fundamentais, como saúde e educação”, dando apoio às comunidades locais, detalhou.

Segundo Lenarcic, a pandemia de coronavírus “coloca a segurança, a saúde e os sistemas sociais sob ainda mais pressão, afetando fortemente as economias nacionais e comprometendo a capacidade de integrar os migrantes” motivo pelo qual “é preciso ajudá-los”.

A comissária europeia de Associações Internacionais, Jutta Urpilainen, analisou que cerca da metade da nova ajuda anunciada pela UE, cerca de 70 milhões de euros, visará “esforços de desenvolvimento”.

“Trabalhamos para que haja mais crianças indo ao colégio, rompendo o círculo da pobreza e construindo um futuro mais brilhante”, comentou a comissária.

Urpilainen destacou que a UE e os Estados-membros têm unido forças em apoio aos países mais necessitados durante a crise provocada pela pandemia de Covid-19, e pediu para que a comunidade internacional “coloque os valores do multilateralismo e a solidariedade no coração da solução” da pandemia.

Fonte: R7

publicidade

publicidade

POLICIA

POLÍTICA MT

publicidade

PICANTES

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA